dia

dia 26

23:53

não é que não era
amor
mas mesmo se fosse
não seria
com quem conjugaria?
não era verbo
pra dele
se fazer carne
não era pronome
era gemido contido
filme não feito
poema não lido
rei afogado
truco não pedido
sem nem jogar
a gente perdeu
não é que não era
amor
mas mesmo se fosse
não seria
agora
se fosse jogo
se a gente fosse
a gente mesmo
perderia

poesia

dia 25

21:45

não é que 
não era 
amor
não é que 
não era 
nada
não é nem 
que era 
cilada
é que 
simplesmente
não era
nunca foi
não conjugava
não pra 
mim
só pra 
eles
não pra 
nós
que não éramos
nunca fomos
nós
não é que
não era 
amor
é que
simplesmente
não era

juro

Juro que não foi amor.

21:00

Me passa o horário que você nasceu. Eu quero fazer o teu mapa astral. Tu acredita mesmo nessas coisas? Eu acho engraçado. E cristão nenhum pode me zoar. Não brinca assim com religião, menina! Não tô brincando, tô só dizendo a verdade. Você ainda é de igreja e eu briguei com ela faz algum tempo. Será que isso significa que a gente não combina? Não sei, mas casamento comigo é só no cartório. Você quer casar comigo? Eu sempre quis. Mas a gente nem combina! Então você não quer? Eu quero. Que bom que já te ensinei a dançar. Eu era todo duro pra isso. Você sempre foi do rock e eu sempre fui do sertanejo. Logo eu. Você sempre foi dos Los Hermanos e eu sempre fui do molejo. Não era amor. Era cilada. Cilada. CILADA. CI - LA - DA. É isso que a gente é. Teus discos de muito bom gosto não combinam com os meus CDs bregas. Esse tanto de livro que você tem, e eu com os meus romances de adolescente. A gente nunca daria certo mesmo. Você nunca me deu chance. Sabia que chance significa sorte em francês né? Eu adoro esse fato. E eu adoro você. Mas isso não é sorte, querido. Isso é azar, e dos grandes. Será que não é só problema no timing? Essa é outra palavra que eu gosto. Porque até tem tradução, mas fica muito melhor em inglês mesmo. Eu queria falar mais inglês. Quando que a gente vai pra Nova York? Lembrei de outra palavra que eu gosto: overthink. Mas isso é uma coisa que eu não deveria mais fazer. Pois é, pensando melhor, a gente nunca daria certo mesmo. Acho que os nossos pais discordam, hein? Eles te adoram, fazem até campanha pra te ter como nora. Querido, eu faço campanha pra ser nora da sua mãe faz muito tempo. Como que eu nunca percebi isso? Sei lá, ninguém me leva muito a sério. Eu sou afobada e você é todo quietão. Você deve ter percebido que a gente não combina. Naquela festa que eu já cheguei sem salto e você ficou de paletó a noite inteira. Você quase nem bebe, enquanto eu... bom, já nos ensina a pichação no ponto de ônibus, que quem nunca usou LSD não teve uma vida plena. Tá brincando, né? LSD não é muito perigoso? Não faço a menor ideia. Não sei se eu teria coragem de usar. Nem eu. Mas agora sério, o que a gente precisa fazer pra ter uma vida plena? Acho que a gente devia ir pra Nova York. E pra Londres também. Acho que todo mundo devia se apaixonar. Ah, eu já me apaixonei em Londres. Você se apaixona demais. Você ama demais. Não acho que isso seja um defeito. Mas quem ama demais, às vezes se fode demais também. Mas, com você, eu não vou ter decepção, né? Não posso prometer nada. A gente é muito diferente. Não sei se as tuas amigas vão gostar do nosso romance. E você sabe que se elas não gostarem, eu termino na hora. Eu imagino que a gente vá discutir muito. Você tem outra cabeça, completamente diferente da minha. Não vamos falar de política, por favor, que o assunto é polêmico demais. Você acredita em reencarnação? Porque eu acho que a gente não vai dar certo nessa vida. Então quem sabe é melhor deixar pra próxima. Que bela ironia, você mesma disse que os nossos signos combinavam pra caramba. Os solares sim, mas precisaria do resto do mapa pra dizer se a gente combina mesmo. Aliás, você ainda não me disse que horas que você nasceu.

não eu

Não eu. A outra Helena.

23:45

Agora, por exemplo, a Helena tá trancada no quarto. E eu nem te aconselho a entrar ali, porque ela vai te matar. Sim, ela mesma disse isso. Não eu. Que fique bem claro. A outra Helena. Mas ela disse que era uma morte metafórica. Só não disse se ia te matar de dor ou de prazer. Ou de amor, que é um misto dos dois.
A Helena adora morrer de amor. E matar também.
A outra Helena. Não eu.

microconto

microconto abacate tá de boa

17:52

- O, você gosta de abacate?
- Gosto sim. Tinha um pé de abacate na minha casa.
- Tenho um aqui comigo. Você quer?
- Tô de boa, mas obrigada.

- E de amor, você gosta?
- Tem um aí com você?
- Vai querer ou tá de boa?
- Olha, obrigada de novo, mas eu tô de boa.

poesia

ainda faço um poema pra ti

03:13

ainda faço um poema pra ti
cê tem o sol na minha lua
tá com o carro na minha rua
se você me permitir
eu faço um poema pra ti
até tento fazer com rima
igual à que eu fiz ali em cima
me perdoa se eu não conseguir
ainda faço um poema pra ti
nem que leve a madrugada
e eu fique atordoada
escrevendo, sem dormir
o meu poema pra ti
quero que fique bonito
mas eu já disse, e repito
nada posso garantir
ainda faço um poema pra ti
e vou me expor por inteiro
vê se te cuida, parceiro
senão eu vou desistir
de fazer um poema pra ti
e então, pobre coitado
cê vai se ver obrigado
a contentar-se com esse daqui